Porquê o Porto

Vista Porto Arrábida
Imagem:  Hugo AzevedoCC BY-NC-SA - Alguns Direitos Reservados

​Viver no Porto

Conhecida como a Cidade Invicta, o Porto deu o nome a Portugal.

Situa-se no Norte de Portugal, na margem direita do rio Douro e é a segunda maior cidade do país, inserida numa zona urbana com mais de 1,3 milhões de habitantes. Em termos demográficos apresenta uma população residente de 237.559 (INE, 2011), numa área de 41,66 km².

A cidade orgulha-se de ter sido o berço do Infante D. Henrique, o Navegador, tendo sido conservada a casa onde nasceu, hoje convertida na Casa do Infante – Arquivo Histórico Municipal. É conhecida mundialmente pelo Vinho do Porto, pelas suas pontes, arquitetura antiga e contemporânea. O seu centro histórico está classificado, desde 1996, como Património Mundial pela UNESCO. Em 1998, acolheu a VIII Cimeira Ibero-Americana e foi Capital Europeia da Cultura em 2001, juntamente com Roterdão.

A cidade do Porto é também um centro de excelência de ensino e de investigação e integra a maior universidade do país (em quantidade de cursos e alunos), destacando-se pela inovação tecnológica e científica, atraindo alunos de todo o território do país e de outros países. A Universidade do Porto apresenta-se como a maior instituição de investigação científica portuguesa, acolhendo grupos de investigação, desenvolvimento e inovação (II&D) das diversas áreas do saber, sendo a universidade portuguesa melhor classificada a nível mundial (entre as 400 melhores do mundo).

A cidade oferece uma grande variedade de serviços e recursos que abarcam todos os gostos e todas as bolsas, mas no que respeita à satisfação das necessidades básicas, a cidade permite um dia-a-dia muito em conta.

Numa perspetiva de apresentar um Porto para todos, tem vindo a ser desenvolvido um esforço contínuo no sentido da consciencialização para os direitos humanos das pessoas com deficiência, particularmente, para os que se prendem com a acessibilidade e a mobilidade, tanto na via pública como nos equipamentos e edifícios públicos e privados, tornando-os acessíveis, com particular evidência para as escolas, serviços da administração local e os transportes, destacando-se o Metro, os autocarros.

No que respeita às telecomunicações, os serviços de voz das redes móveis (GSM) apresentam uma cobertura nacional de rede que ronda os 100 por cento nas cidades e eixos rodoviários, já com operadores designadas low cost associados aos três operadores nacionais.

Os serviços de educação, de saúde, de informação e proteção jurídica e bancários são acessíveis a todos os cidadãos estrangeiros e assegurados pelo menos a um nível básico equivalente aos dos prestados aos cidadãos nacionais, permitindo uma assistência eficaz em qualquer um dos casos, para quem opta por viver no Porto por um período temporário até um ano. Nestas três áreas existem ainda serviços dirigidos a cidadãos estrangeiros providenciando apoios específicos.

Importa ainda referir que a cidade dispõe, do ponto de vista dos recursos, de uma oferta diversificada de equipamentos culturais e desportivos, de espaços verdes, rede de transportes públicos (STCP-autocarros) e METRO, hospitais e unidades locais de saúde, clínicas, farmácias, etc.

Por fim, destaca-se que em 2012 a cidade do Porto foi eleita como Melhor Destino Europeu, pela Associação de Consumidores Europeus.
Sendo o Porto conhecido pela sua dimensão humana –a capacidade de acolher, integrar e fazer qualquer pessoa sentir-se em casa, qualquer cidadão estrangeiro facilmente encontrará na cidade o adequado encaminhamento para a sua necessidade específica.

​Estudar e investigar no Porto

A internacionalização dos estabelecimentos do ensino superior público, privado e cooperativo instalados no Porto traduz-se no aumento do fluxo de estudantes que, ao abrigo de programas de intercâmbio e mobilidade, lhe dão preferência devido à qualidade e ao reconhecimento científico-tecnológico do ensino ministrado nessas unidades e, ao mesmo tempo, pela própria envolvência da cidade. São vários os Programas de Mobilidade de Ensino, Formação e Investigação que permitem a estudantes, trabalhadores e investigadores complementar no Porto a sua formação com excelentes níveis de qualidade.

  • Programa Porto Acolhe

Com o intuito de proporcionar o melhor acolhimento e a integração dos estudantes de mobilidade internacional, a Câmara Municipal do Porto e as instituições de ensino superior desenvolvem o programa Porto Acolhe, que promove uma série de ações para proporcionar aos jovens o acesso a museus e complexos desportivos, espetáculos musicais - Concertos Promenade, sessões de âmbito científico - Visões do Cosmos e Observação Noturna do Universo, programa de visitas ao património histórico e cultural, bem como aos projetos de regeneração urbana e às indústrias criativas da cidade. O Município, enquanto membro do Consórcio Erasmus da Universidade Católica Portuguesa – Centro Regional do Porto, coloca também à disposição locais de estágio profissional, com uma duração de 3 a 12 meses. A oferta municipal para os estudantes de mobilidade internacional é divulgada, semestralmente, na PortoWays, a Newsletter que une o Porto aos diversos pontos do mundo. 

  • Plano Municipal de Juventude

A voz e a ação dos jovens são os atributos imprescindíveis para uma cidade que ambiciona gerar as melhores e as mais dirigidas oportunidades. Através do Plano Municipal de Juventude a cidade estabelece um compromisso com os jovens, baseado na sua opinião relativamente à construção das políticas/ações para a cidade do Porto.
As áreas prioritárias de intervenção deste Plano abrangem Educação, Formação, Emprego e Empreendedorismo, Inovação Social, Cultura, Lazer e Desporto, Promoção Social, Associativismo e Cidadania, Criatividade, Ciência e Conhecimento.

Mais de 120 ações que organizam e disponibilizam a oferta existente em todas estas áreas são dirigidas a milhares de jovens que residem ou que afluem ao Porto, fazendo desta cidade um “porto de partida” mais sólido e um “porto de chegada” bem-sucedido.

E assim se posiciona o Porto – lugar de ensino e de trabalho, de criatividade e investimento, lugar de impulso à cidadania e à solidariedade, de fruição cultural e animação, lugar de participação democrática, de conhecimento e ciência ao dispor das novas gerações. 

Data publicação 20-05-2013